Comprar peixe requer cuidado e atenção redobrados

Sistema de Inspeção Municipal dá dicas de como levar peixe de boa qualidade para casa. Exigir certificação diminui riscos.

Comprar peixe sempre requer atenção redobrada. Nos dias que antecedem a Semana Santa os cuidados devem ser ainda maiores, pois o comércio de pescados aumenta e cresce o perigo de produtos duvidosos chegarem ao mercado. O Sistema de Inspeção Municipal (SIM) de Rio Claro ajuda a comunidade a evitar surpresas desagradáveis à mesa dando algumas dicas de como comprar peixe de boa qualidade.

De acordo com o SIM, comprar peixe fresco requer um pouco mais de paciência do consumidor em relação aos peixes embalados. Vale à pena investir um pouco mais de tempo na verificação do produto e garantir que o peixe esteja úmido, firme e sem manchas.

Os olhos devem estar brilhantes e salientes e as brânquias, rosadas ou vermelhas. As escamas precisam ser firmes, sem soltarem facilmente. Outros aspectos, mais fáceis de observar, são igualmente importantes. Não pode haver moscas, areia, pedaços de metal, poeira, resíduos de sabão e de detergentes nos peixes.

No caso de filés embalados é importante verificar a consistência da carne, o tipo do pescado, o estabelecimento de origem, o peso líquido, a data de embalagem, o prazo de validade, a forma de conservação e a informação nutricional.

Outra dica para a compra é exigir produtos com selo de certificação ou optar por estabelecimentos certificados. Pode ser o selo estadual (Sisp), federal (SIF ou Sisbi) ou o SIM, que é gerenciado pela prefeitura, por Meio da Secretaria de Agricultura, e também certifica peixarias.

Ao optar pelos produtos certificados, os consumidores têm uma garantia a mais de que não estão comprando um produto no lugar de outro. De acordo com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), entre os peixes mais fraudados estão as pescadas branca e amarela, que são indevidamente substituídas por outros tipos mais baratos. Também foram verificados casos de espécies como “Abrotéa” e “Maria Luiza”, vendidas como se fossem pescadinha, e de “Panga”, vendida como filé de linguado.

Quem precisar de mais orientações pode entrar em contato com o SIM pelo telefone 3527-1428.​

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.